03 julho 2007

Conversa entre sentimentos


Estava instalada a confusão naquele canto tão bem arrumadinho a que todos chamavam de coração. Nunca tal se tinha visto. Aquele que batia forte e que em estado de euforia cantava a sete ventos, estava agora de monco caído, taciturno a tal ponto que mal se ouvia o seu bater.

Já não falava às rosas e as orquídeas que em certas ocasiões tinham bastante saída, estavam guardadas a um canto à espera que uma gota lhes alimentasse a sede. O riso e o sorriso cochichavam entre si, a gargalhada mal falava e o suspiro passou a ser o rei da melancolia.

O assombro era geral. Ninguém percebia como é que a Atracção se apaixonou pela Paixão e esta se enamorou pelo Amor, sem que este nada fizesse para que isso acontecesse.

Pensativo andava o Amor tentando deslindar tudo isto pois, quieto que estava no seu canto, jamais pensou, que de tamanha quietude, pudesse resultar por parte da outra, um sentimento tão forte. Foi durante este processo que concluiu que nada tinha feito. Não tinha dado o primeiro passo, nem empurrado, nem sequer estado presente. Portanto, o enamoramento da paixão por si, foi uma obra unilateral.

Como pôde então a Paixão, alimentar tamanho sentimento estando o Amor ausente?

Sentada no seu canto, ria-se a Atracção enquanto dizia para o Enamoramento:

- Morto está o Amor de tanto pensar, que se esqueceu que as memórias da amizade, alimentaram a Paixão, a ponto de colmatar a ausência.

-Naaaaaaa!!!!!! (retorquiu o Enamoramento), ele esteve presente, mas é perito na arte do esquecimento. Ainda ontem falava eu com a Amizade e ela foi clara no que disse, “tudo começou comigo, na altura preocupei-me em dar-lhes a base para algo duradoiro. Pensei que isso era o necessário. Sempre achei que ela (a Paixão) não evoluiria mais. Enganei-me.”

- Hum... (exclamou a Atracção pensativa), enganou-se e bem. Tudo evolui. A Paixão não se apercebeu mas durante a sua amizade por mim, conheceu-te e agora que ninguém nos oiça, ela nas noites difíceis de tudo, teve sempre a Amizade a seu lado. Posso então concluir que, foi mais ou menos entre a Solidão, o Choro e o Riso que a luz se acendeu.
O Amor só soube depois. Coitado, foi apanhado tão de surpresa que não sabe o que fazer. Não sei porquê, mas algo me diz que ainda vamos ser culpados de tudo isto. Nunca percebi porque temos de estar metidos nestas alhadas.

- Chiuuuuuu, cala-te que ela aí vem. Não olhes, está com má cara. Ontem deve ter sido uma daquelas noites de clinex e pelo andar da menina, foi uma rave e peras.

Completamente extenuada, a Paixão sentou-se perante ambos e antes de ser bombardeada com perguntas disse:

- Falamos. Melhor, falei eu e ele ouviu calado. Expliquei que aconteceu, que nenhum de nós nem de Vocês teve culpa, que mesmo ausente, sentia a sua presença em cada canto, que fui às gavetas da Amizade (sem ela saber) e de lá retirei tudo o que precisava para matar a Saudade e que, nos poucos momentos em que Ele esteve presente, fui inconscientemente arrumando a casa. Pedi-lhe que nada fizesse, que continuasse a ser o mesmo, pois foi assim que o conheci.

Quase em coro a Atracção e o Enamoramento perguntaram: "vais devolver a Amizade???"
- Não, ambos concordamos que isso é a base de tudo, ela poderá ficar um pouco sensível mas teremos cuidado para não a melindrar.

- Hum...vocês conheceram-se há pouco tempo. Daqui por uns tempos, quando Ele para além da amiga vir a mulher eu visito-o novamente (disse a Atracção).
- Tchiiiiii, não te ponhas com visitas longas. Dá espaço, muito espaço que eu também lá quero ir molhar o bico (finalizou o Enamoramento).

- Deixem andar, não se metam em alhadas, eu cá me arranjo.

39 comentários:

gasolina disse...

Ah!
Que texto farto, pleno, bem construído, os diálogos ao primor e a estória...um amor.

Levo o peito cheio de coisa boa!
Parabéns Helena!
Está simplesmente, sublime.

Deixo um beijo. DE amizade!

PS. Imagem lindissima!

ContorNUS disse...

o texto está terno alado a uma ilustração perfeita ;)

Dias... disse...

Muito bom Helena, muito bom MESMO!
Parabéns e obrigada por este momento.
Beijo

A.S. disse...

Um belissimo texto Helena! Muito bem construido, com grande criatividade! Parabéns...


Um beijo!

Marco disse...

Helena!
Não sabia da minha indicação aqui para o "Blog com Tomates"...
Não me avisaste!
Que agradável surpresa, mesmo que tardia (desculpe-me!)...
Obrigado minha querida!
Beijos

cõllybry disse...

Minha querida , sentimentos que são tão controversos has vezes...bela conversa...

O meu bem haja pelo carinho na nomeação, irei fazer uma referencia mas certamente não me levas a mal que não post,
o meu bem haja e
meu doce beijo

Brain disse...

Helena,

Este teu texto, está Soberbo!
Situação bem real, excepcionalmente bem retratada.

ADOREI!

Beijo.

Lu@r disse...

Tens de explicar essa " Hum...em tempos também questionei" e " Profissional"

Beijo

Maria P. disse...

Página 161 - um desafio.

Beijoca*

madrugada disse...

Helena,
sempre que aqui venho
saio satisfeito.

E com pressa de voltar.

Lindo!...

Thunder disse...

Belo texto!Muito bem escrito.Atraiu-me desde a primeira linha e isso é importante!
Bjs.

AMOR&TERNURA disse...

Estiro-me no leito preguiçosa,
A música minh’alma embala,
Minha pele só volúpia exala
Recendendo a rubra rosa.

Os sentimentos perdidos em orgia
Fundem-se aos desejos do corpo
E em ebulição me levam ao topo
Do monte da louca fantasia.

Acariciá-me a mão da brisa marinha.
Sonho. Imagens passam lentamente.
Mas o filme termina de repente,
Assusto-me, estou na platéia sozinha...

bjus Ternura...

Klatuu o embuçado disse...

----AVISO À NAVEGAÇÃO----

BLOG DE UMA PLAGIADORA: http://spring-gold.blogspot.com

------» kanoff


http://meninamomentos.blogspot.com/2007/05/um-falso-querer.html

http://spring-gold.blogspot.com/2007/07/no-espero-que-me-entendas-quero-de-ti_02.html

http://tocolante.blogspot.com/2005/04/25-de-abril.html

http://spring-gold.blogspot.com/2007/04/tocou-o-telefone-na-madrugada-l-longe-l.html

http://tsilva.blogs.sapo.pt/108951.html

http://spring-gold.blogspot.com/2007/04/o-nosso-cames-genial.html

http://corta-fitas.blogspot.com/search/label/Tert%C3%BAlia%20liter%C3%A1ria

http://spring-gold.blogspot.com/2007/04/versos-para-as-fitas-de-final-do-curso.html

E não pensem que a criatura só plagia poemas!

É tudo... ou quase!

[a cópia]
http://spring-gold.blogspot.com/2007/05/ter-pedalada.html

[o original]
http://corta-fitas.blogspot.com/2007_05_01_archive.html

Nem o Pacheco Pereira escapa!! :)

[a cópia]
http://spring-gold.blogspot.com/2007/05/uma-vida-uma-ficha-joo-silva-e-mulher.html

[o original]
http://abrupto.blogspot.com/2007/05/uma-vida-uma-ficha-joo-silva-e-mulher.html


___
Hi5: http://kanoff.hi5.com/

Jose disse...

Está divinal este teu texto.
Muito bem construído e com uma pitada de humor simplesmente sublime.

Um beijo.


Jose

gasolina disse...

Helena,

Além de me ter deliciado com a releitura do teu texto, convido-te a agarrares um desafio que te ofereço lá no meu espaço.

Um beijinho.

Jardim Proibido disse...

Que jeito para escrever! Lindo!!!

Muitos beijinhos.

AA disse...

OFF-TOPIC - com desculpas:

Caro leitor/comentador do blogue Spring Gold (http://spring-gold.blogspot.com/):

No post Campanha a sério..., o blogger Kanoff escreve: Uma coisa é certa: copiar não é nada bonito.

Acontece que este texto em si é um plágio do post "Campanha a sério..." de Francisco Almeida Leite no blogue Corta Fitas

O autor foi devida e atempadamente avisado para (num primeiro comentário, não aceite) identificar com a proveniência todos os posts plagiados do meu próprio blogue (A Arte da Fuga); verificando eu que todos os posts do Spring Gold são integralmente plagiados, imagens incluídas, exigi (em comentário que foi igualmente ignorado) que fossem retirados todos e quaisquer posts do AADF, e que Kanoff comunicasse o facto aos seus próprios leitores.

Uma vez que o aviso não foi atendido, venho portanto dar conta desta conduta imprópria.

Cumprimentos,

António Costa Amaral

PS : uma simples procura no google descobre facilmente a proveniência dos textos do Spring Gold, uma vez que todos os textos foram copiados de referências da blogosfera. (impressionante, até copia do José Pacheco Pereira e do Francisco José Viegas - sempre sem identificar a fonte)

Helena Nunes disse...

Os meus agradecimentos ao "Klatuu o Embuçado" http://cronicasdapeste.blogspot.com/
bem como ao "AA" http://aartedafuga.blogspot.com/ o facto de nos alertarem para este triste facto.

Infelizmente não vejo como impedir que tal me aconteça. Mesmo que a entrada ao meu blog passe a ser por convite, acabaria por acontecer pois para mim os que me visitam são pessoas de bem.

A única é forma é mesmo a denuncia.
Mais uma vez um bem haja pelo alerta.

NeLiNhA disse...

simplesmente fantástico :)

mixtu disse...

ele lá se arranja...

texto muito intenso e verdadeiro...

abrazo europeu

eu disse...

Estou qual orquídea, arrumada a um canto, esperando a gota de água redentora.


D. Galinha

F F Moniz disse...

Olá! Sou escritor e busco amigos com interesse em literatura. Qnd tiver um tempinho, visita o meu blog. Obrigado pela atenção e parabéns pelo seu blog. Até a vista!

Miosotis disse...

Um olá...
Um adeus...
Um beijo perdido num campo de miosótis ressequido...

[[cleo]] disse...

Adorei este texto.
Está realmente muito bom, como aliás, mais pessoas já aqui o afirmaram.
Assim todos corremos o risco de dizer o mesmo...
Mas são as palavras exactas para o definir-MUITO BOM!!

Beijo

Diva disse...

Gostei imenso. Dos dialogos. belo texto.
Bjs meus

DE-PROPOSITO disse...

Os sentimentos.
Possívelmente quando aconteceu aquele enamoramento foi na 'idade das ilusões', a idade em que se acredita em tudo. É que com os anos, o passar dos anos 'os amores, ou sentimentos', vão esfriando, havendo casos em que terminam mesmo. É que a pesóa torna-se insensível, dura como uma rocha.
Nota: Isto aplica-se a homem e mulher.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

poeta_silente disse...

Que belo texto... Nunca havia visto algo assim...
Muito lindo e interessante!!!!
Grata pela visita.
Beijos
Miriam

Maria disse...

Delícia de texto.....
Muito bom!

Encontramo-nos logo?

Beijo

o alquimista disse...

Será que o fogo que me assalta o peito, é deslumbramento, gerado de dor consentida ou apenas um vestido de rubra lava, tecido nas profundezas, liberto no meio da ilha?! Agitam-se as águas do tempo, aprisionado mar numa gota de sal azul, oceano de mil contradições, espesso aroma de brisa do sul.


Bom fim de semana


Doce beijo

gasolina disse...

Helena,

Reler-te é descobrir novas frases, uma pontuação que belisca os sentidos.
A questão é: tal como o chocolate, quero sempre mais!

Um beijinho.

Chama Violeta disse...

Lindo texto!! Parabéns!! Já imprimi para reler.
Bom final de semana para ti, beijos violeta!
Não esqueças do dia 07/07/07, leia em meu blog!

Menina do Rio disse...

Pois é...Um belo emaranhado de sentimentos que cercam nossas vidas. As vezes nos causam emoções sublimes, outras nos desconcertam.

Um beijo

Jeniffer Santos disse...

linda a img.
e mais ainda o txt.
beijos!

o alquimista disse...

Perdido no tempo o teu coração errante, alma desencontrada da oração, uma flor liberta na brisa uma semente, que secretamente a noite a recolhe na ausência de um coração.


Bom domingo


Doce beijo

vida de vidro disse...

Um texto delicioso, profundo e bem humorado.
Tens um desafio lá no meu blog. Gostava que aceitasses. **

ALF O Extasiado disse...

que texto apaixonante.
Bem escrito.

Palavras plenas, belíssimas.

Adorei.

:)

beijos

Filipe disse...

Linda metáfora....

Ainda bem que deixaste de fora o Esquecimento....pois ele não faz falta.

Onde a Saudade e a Amizade fizeram-me uma visita!

Levam beijos, abraços e carinhos para ti...espero que te encha como me encheu a mim.

cõllybry disse...

Grata pelo presente carinhoso,
e o texto digo...extremoso com muito sentido e sentimanto...

Bjca doce

Lu@r disse...

Uma pergunta sem resposta...

Beijo Nocturno